Efeitos locais dos determinantes do crescimento da agroindústria no Brasil

Palabras clave: RPG, agroindústria, localização

Resumen

Este estudo tem por objetivo analisar o crescimento da agroindústria no Brasil no período de 2006 a 2016. Para tanto utilizou-se a Análise Exploratória de Dados Espaciais (AEDE) e a Regressão Ponderada Geograficamente (RPG). A AEDE indicou a existência de autocorrelação espacial positiva no crescimento dos estabelecimentos da agroindústria, já os resultados da RPG, que estima os efeitos locais do modelo em questão, evidenciaram o efeito local das variáveis PIB per capita, quociente locacional da agropecuária, valor adicionado da agropecuária, área da microrregião e percentual de funcionários com nível de ensino médio nas microrregiões das regiões Norte e Nordeste do país, regiões que apresentaram as maiores taxas de crescimento no período e contribuíram significativamente com o crescimento da agroindústria.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

Almeida, E. S, (2012). Econometria Espacial Aplicada. (1a ed.). Campinas, SP: Alínea.

Anselin, L, (1995). Local indicators of spatial association – LISA. Geographical Analysis, 27(2), 93-115.

Anselin, L, (1996). The Moran scatterplot as an ESDA tool to assess local instability in spatial association. In: Fischer, M., Scholten, H., & Unwin, D. Spatial Analytical Perspectives on GIS in Environmental and Socio-Economic Sciences. Londres: Taylor and Francis.

Banco do Nordeste do Brasil [BNB], (2008). A agroindústria de alimentos de frutas e hortaliças no Nordeste e demais áreas de atuação do BNB Desempenho Recente e Possibilidades de Políticas. (Série Documentos do Etene No. 24). Fortaleza.

Barrantes, R.; Fiestas, J.; & Hopkins, Á., (2015). Patrones de localización de las empresas agroindustriales en el Perú. Lima: IEP. (Serie documentos de trabajo, Documento No.157). Chile.

Basile, R.; Castellani, D.; & Zanfei, A., (2008). Location choices of multinational firms in Europe: The role of EU cohesion policy. Journal of International Economics, 74(2), 328–340.

Carod, J. M. A., (2005). Determinants of industrial location: an application for Catalan municipalities. Papers in Regional Science, 84(1), 105–120.

Carvalho, C. P. O., (2008). Nordeste: sinais de um novo padrão de crescimento. In: XXXVI Encontro Nacional de Economia - ANPEC, 2008. Anais, Salvador.

Castro, C. N., (2014). A agropecuária na região Sudeste: limitações e desafios futuros. (Texto para Discussão No.1952). Ipea, Brasília.

Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada [CEPEA], (2015). PIB do agronegócio brasileiro. Obtido em 02/01/2018 em https://www.cepea.esalq.usp.br.

Daltro Barreto, F. A. et al., (2003). Integração comercial, dotação de fatores e desigualdade de renda pessoal dos estados brasileiros. Pesquisa e Planejamento Econômico, 33(3), 597-624.

Davis, D.E., & Schluter, G.E., (2005). Labor-force heterogeneity as a source of agglomeration economics and empirical analysis of county-level determinants of food plant entry. Journal of Agricultural and Resource Economics, 30(3), 480–501.

Fotheringham, A. S. Brunsdon, C., & Charlton, M., (2000). Quantitative geography: perspectives on spatial data analysis. Sage publications, Edição: First, Londres.

Gàlvez, N.E., & Webber, M. (2017). Territorial tools for agro-industry development. Food and Agriculture Organization of the United Nations (FAO). Rome, Italy: FAO.

Gezici, F.; Walsh, B. Y., & Kacar, S. M., (2017). Regional and structural analysis of the manufacturing industry in Turkey. The Annals of Regional Science, 59(1), 209-230.

Granco, G., Sant´Anna, A.C., Bergtold, J.S., & Caldas, M.M. (2018). Factors influencing ethanol mill location in a new sugarcane producing region in Brazil. Biomass and Bioenergy, 111, 125-133. doi:10.1016/j.biombioe.2018.02.001

Goetz, S., (1997). State-and county-level determinants of food manufacturing establishment growth: 1987–1993. American Journal of Agricultural Economics, 79(3), 838–850.

Gomes, C. E. et al., (2019). Comércio internacional e PIB per capita: uma análise utilizando a abordagem espacial. Revista de Economia, 40(71), 1-27.

Gotardo, D. M., (2016). Determinantes da localização industrial: uma análise para as mesorregiões brasileiras. Dissertação (mestrado) - Programa de Pós Graduação em Economia, Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE, Campus Toledo.

Governo do Espírito Santo, (2018). Diversificação de culturas amplia o crescimento do agronegócio no Espírito Santo. Obtido em 02/09/2018 em https://www.es.gov.br.

Henderson, J.R., & McNamara, K.T., (1997). Community attributes influencing local food processing growth in the U.S. Corn Belt. Canadian Journal of Agricultural Economics, 45, 235–250.

Hoover, E. M., (1948). The location of economic activity. New York: McGraw-Hill.

Huang, Y., & Leung, Y., (2002). Analysing regional industrialisation in Jiangsu province using geographically weighted regression. Journal of Geographical Systems, 4(2), 233-249.

Instituto brasileiro de geografia e estatística [IBGE]. (2017). Contas Regionais 2002-2015. Rio de Janeiro. Obtido em 29/04/2020 em https://ibge.gov.br.

Instituto brasileiro de geografia e estatística [IBGE]. (2006). Censo Agropecuário. Rio de Janeiro. Obtido em 29/04/2020 em https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/censo-agropecuario/censo-agropecuario-2006/segunda-apuracao.

Instituto mato-grossense de economia agropecuária [IMEA], (2017). Mapa das Macrorregiões do IMEA. Obtido em 05/04/2018 em http://www.imea.com.br.

Johnston, B.F., & Mellor, J.W., (1962). El Papel de la Agricultura en el Desarrollo Económico. El trimestre Económico, 29(2), 279-307.

Lambert, D. M.; MC Namara, K. T., & Garrett, M. I., (2006). An application of spatial Poisson models to manufacturing investment location analysis. Journal of Agricultural and Applied Economics, 38(1), 105-121.

Lambert, D. M., & McNamara K. T., (2009). Location Determinants of Food Manufacturers in the U.S., 2000–2004: Are Nonmetropolitan Counties Competitive? Agricultural Economics, 40(6), 617-630.

Li, Y. C., & Zhu, K., (2017). Spatial Dependence and Heterogeneity in the Location Processes of New High-tech Firms in Nanjing, China. Papers in Regional Science, 96(3), 519–535.

Liu, Z., (2013). Geographical Concentration of Manufacturing Industries in China—Measurements and Determinants. Dissertation (Doctor of Philosophy), University of Connecticut.

Lopes, L.M., & Vasconcellos, M.A.S., (2008). Manual de Macroeconomia: Nível Básico e Nível Intermediário. (3a ed.). São Paulo: Editora Altas.

Monteiro, F. D. S. C., & Lima, J. P. R., (2017). Desindustrialização regional no Brasil. Nova Economia, 27(2), 247-293.

Monteiro Neto, A., & Silva, R.O., (2018). Desconcentração territorial e reestruturação regressiva da indústria no Brasil: padrões e ritmos. (Texto para discussão No. 2402). IPEA, Brasília.

Partridge, M. D. et al., (2008). The geographic diversity of US nonmetropolitan growth dynamics: A geographically weighted regression approach. Land economics, 84(2), 241-266.

Pintor, E., (2016). Determinantes da expansão da fronteira de produção das culturas de arroz, milho e soja no Norte e Nordeste brasileiro. (Dissertação) - Pós-Graduação em Desen. Regional e Agronegócio, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Toledo. (Dissertação de mestrado).

Polyzos, S.; Tsiotas, D., & Niavis, S., (2015). Analyzing the location decisions of agro-industrial investments in Greece. International Journal of Agricultural and Environmental Information Systems, 6(2), 77-100.

Relação Anual de Informações Sociais [RAIS], (2018). Obtido em 05/04/2018 em http://trabalho.gov.br/rais.

Sabater, L. A.; Tur, A. A., & Azorín, J. M. N. (2011). Análise Exploratória de Dados Espaciais (AEDE). In: J. S. Costa; T. P. Dentinho & P. Nijkamp (Org). Compendio de Economia Regional, (Vol. 2, 1ª ed., pp. 259-293). Cascais: Princípia.

Santos, G.R., (2013). Agroindústria e desenvolvimento: uma análise da distribuição regional e dos efeitos diretos na economia. Planejamento e Políticas Públicas, Brasília, 2, 363-420.

Santos, G.R., (2014). Agroindústria no Brasil: um olhar sobre indicadores de porte e expansão regional. (Radar No. 31: tecnologia, produção e comércio exterior). Brasília: IPEA.

Silva, R.D.S., (2009). Estrutura industrial e desenvolvimento regional no Estado do Rio de Janeiro (1990-2008). (Tese inédita de doutorado). Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Econômico, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

Silva, C.A., Baker, D., Shepherd, A.W., Jenane, C., & Miranda-da-Cruz, S. (2009). Agro-industries for development. Italia: CAB International and FAO. Food and Agriculture Organization of the United Nations

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas [SEBRAE], (2017). Anuário do Trabalho nos Pequenos Negócios 2015. Obtido em 23/04/2018 em http://www.fao.org/3/a-i0157e.pdf

Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia [SEI], (2018). Cidades do Agronegócio no Oeste Baiano. (Texto para discussão No.13). Salvador. Obtido em 05/04/2018 em http://www.sei.ba.gov.br.

Takano, K.; Tsutsumi, M., & Kikukawa, Y. (2018). Spatial Modeling of Industrial Location Determinants in Japan: Empirical Analysis Using Spatial Econometric Approaches. Review of Urban & Regional Development Studies, 30(1), 26-43.

Xu, Y., & Warner, M. E., (2015). Understanding employment growth in the recession: the geographic diversity of state rescaling. Cambridge Journal of Regions, Economy and Society, 8(2), 359-377.

Wu, W., (2017). Agglomeration Economy and Input-output Linkage: Evidence from the Entry of the Agro-food Industry in China. Japanese Journal of Agricultural Economics, 19, 48-53. Obtido em https://doi.org/10.18480/jjae.19.0_48

Publicado
2021-02-09
Cómo citar
Favro, J., & Alves, A. (2021). Efeitos locais dos determinantes do crescimento da agroindústria no Brasil. Estudios Económicos, 38(76), 223-257. https://doi.org/10.52292/j.estudecon.2021.1880
Sección
Artículos